Segunda, 17 Agosto 2015 00:00

Afinal, o que é RH Estratégico?

Escrito por
Avalie este item
(1 Voto)

Muito se fala sobre a importância do RH Estratégico e de ser parceiro do negócio, mas será que todos entendem o que isso significa na prática?

 

Tenho cerca de 20 anos de atuação em Recursos Humanos e desde que ingressei no mundo corporativo esse discurso de RH estratégico já existia. Depois veio o jargão “business partner” (parceiro do negócio). Hoje, pode-se dizer que ser estratégico é ser parceiro do negócio. Podem ser duas formas de dizer a mesma coisa.

Mas, afinal, o que significa ser um parceiro do negócio?

RH parceiro do negócio é o RH que consegue apoiar a empresa na construção de vantagem competitiva através de Pessoas.

Dizendo a mesma coisa de outra forma: ser parceiro do negócio é conseguir identificar quais os maiores desafios que a empresa enfrentará nos próximos 5 anos e como o fator Pessoas poderá ajudá-la a ser bem-sucedida perante eles.

Acredito que os dois cases abaixo possam ajudar a esclarecer o que é uma atuação estratégica de RH:

Case 1 – Como RH pode ajudar no desafio de elevar o nível de serviço da empresa?

Uma empresa havia passado por uma aquisição e precisava elevar seu nível de serviço ao cliente. Depois de extensivas análises de como fazer isso, um comitê multifuncional identificou a necessidade de elevar a qualificação dos profissionais que atuavam na área de atendimento ao cliente como uma das iniciativas de impacto. Então, RH foi convidado a desenhar um plano para atingir este objetivo, em parceria com a área. Este plano era abrangente e envolvia redesenho de atividades na área, mudança de perfil dos cargos, revisão de faixas salariais, plano de treinamento para as equipes existentes e plano de atração de talentos dentro do novo perfil.

Case 2 – Como RH pode ajudar no desafio corporativo de diferenciar e fortalecer seu posicionamento no mercado?

Nesta empresa, havia a necessidade de revisão de identidade corporativa, o que foi liderado por Marketing Institucional. Este projeto era bastante complexo e envolvia várias iniciativas, todas para garantir o reposicionamento e fortalecimento da marca. Qual foi o papel do RH nesse projeto? A mudança proposta representava um divisor de águas para a empresa e precisaria ser assimilada internamente, para depois ser proposta externamente. Houve uma campanha intensiva voltada para o público interno, para divulgação e vinculação afetiva à nova identidade da empresa. RH, nesta etapa, foi envolvido como consultor e apoiador do processo de venda interna das mudanças que iriam ser divulgadas no mercado. Além de preparar o público interno para expor o novo posicionamento ao mercado, esta iniciativa foi muito importante para fortalecer o vínculo dos colaboradores com a empresa e seu orgulho de trabalhar nela.

O que acontece na prática, contudo, é que nem sempre temos um RH Estratégico.

É muito comum que executivos de outras áreas da empresa reclamem de que não possuem um RH parceiro. Ao contrário, queixam-se de que o RH que os atende costuma ser um problema e não uma solução, dar despesas e não trazer resultados ou que é o grande culpado por falta de eficiência em gestão de pessoas nas áreas (demora na contratação de pessoal, pouca qualidade dos candidatos apresentados, demandas burocráticas diversas que tomam o tempo dos gestores, falta de políticas claras que garantam a percepção de justiça etc.).

Também encontramos empresas que, em seu discurso, afirmam que Pessoas são os ativos mais valiosos, porém, na prática, ao passar por uma restrição financeira, a primeira coisa que cortam são os investimentos em treinamento, horas extras ou quadro de pessoal.

Se uma empresa não possui um RH com atuação estratégica, pode ser decorrência dos seguintes fatores:

  • Perfil do executivo de RH não é compatível com a construção de uma atuação estratégica. Para ser estratégico, o profissional precisa conhecer o negócio, seus indicadores de resultados, clientes e concorrentes. Precisa ser capaz de construir parcerias e exercer influência, bem como vender ideias e executá-las.
  • A etapa de maturação do RH na empresa ainda não é compatível com o RH Estratégico.  É necessário entender quais são as expectativas do primeiro executivo (CEO ou Presidente) e da alta gestão com respeito ao RH, que grau de autonomia é oferecido ao executivo de RH para definir suas estratégias de atuação e o suporte que a área recebe.

Existe saída para o RH?

Certamente existe! Primeiro os executivos de RH precisam estabelecer a conexão estratégica das Pessoas com o negócio, ou seja, definir como as Pessoas podem ser fonte de uma vantagem competitiva.

Tendo estabelecido a conexão estratégica para Pessoas, os executivos de RH precisam construir uma resposta para a pergunta que segue, em conjunto com as demais áreas da empresa e com sua equipe: Como a área de RH pode apoiar a empresa e os gestores para que essa vantagem competitiva seja criada ou fortalecida?

Algumas lições aprendidas...

Depois de anos atuando como executiva de RH em empresas onde o RH era reconhecido como parceiro estratégico do negócio, posso dizer o seguinte:

Se você deseja ter certeza de que irá atuar em uma empresa onde Pessoas são um fator importante de competitividade, tente perceber sinais que comprovam que a empresa será um campo fértil neste sentido. A empresa apresentará evidências disso através de pequenas coisas que contam muito: O RH faz parte do Board? Qual a importância dada às Pessoas? Quais as principais expectativas que existem com respeito à atuação do RH?

É sempre possível tentar promover as condições para que a empresa perceba a importância do RH estratégico, mas para ter certeza de que você encontrará um campo fértil, é melhor apostar nas empresas que já oferecem algumas evidências de um interesse genuíno neste sentido, mesmo que isso seja apenas um interesse e que ainda falte muito para que o RH consiga ser visto como parceiro do negócio.

Procure fortalecer as habilidades cruciais para o seu sucesso como parceiro estratégico do negócio. De nada adianta ter um campo fértil, se você não souber semear corretamente.

A melhor maneira de desenvolver uma parceria com o negócio é formar uma equipe de alto desempenho. Então, antes de sair propondo grandes projetos e gerar expectativas grandiosas, faça sua lição de casa: avalie suas Pessoas e arrume as bases. Somente assim, sua equipe estará preparada para entregar a contribuição necessária que fará com que a empresa reconheça no RH um parceiro de negócios.

Gostou das reflexões? Então, saiba mais sobre nosso Workshop O Papel do Business Partner de RH, no link abaixo:

http://www.mcanizares.com.br/programas-abertos/workshops/o-papel-do-business-partner-de-rh

 

 

 

Lido 2334 vezes Última modificação em Quinta, 04 Fevereiro 2016 15:00
Meiling Canizares

Meiling Canizares é Sócia Diretora da M'Canizares e possui 20 anos de experiência em desenvolvimento humano e organizacional. Ver perfil profissional.

br.linkedin.com/in/meilingcanizares

Itens relacionados (por tag)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Entre em Contato

+55 11 94154-5654

 

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

meilingcanizares

 

facebook.com/mcanizarescoaching

 

linkedin.com/in/meilingcanizares

Conecte-se a nós

Assine nossa newsletter e receba nossos informativos por e-mail.